GOVERNADOR ACABA COM A POLÊMICA DA MUDANÇA DA CEASA



O governador do Rio, Wilson Witzel, garantiu, na manhã deste sábado (18/7), a permanência da CEASA-RJ - Centrais de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro – no bairro do Irajá, zona Norte do Rio. Witzel assinou um termo de compromisso na sede da Associação Comercial dos Produtores e Usuários da CEASA (Acegri), atendendo à solicitação dos comerciantes.

Eles alegaram ser inviável a sua transferência, devido aos inúmeros problemas que geram. Entre eles, o caos social, a insegurança jurídica dos comerciantes, e o trânsito intenso na Rodovia BR-040, local proposto pelo prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis.

Segunda maior central de abastecimento da América Latina, a CEASA-RJ funciona há quase 45 anos no bairro do Irajá. São mais de 600 comerciantes e cerca de 2.500 produtores cadastrados, com média de 50 mil pessoas por dia circulando no espaço.

A mudança atingiria todas as comunidades em torno da CEASA, que hoje dependem da central para o seu sustento, tanto para o trabalho como alimento, propriamente dito. Além disso, criaria uma insegurança jurídica, já que os comerciantes não teriam nenhuma garantir para o seu investimento, pois a CEASA é uma empresa vinculada ao Governo do Estado do Rio de Janeiro.

“A CEASA é uma decisão do povo, não é minha. Eu represento o interesse do povo. Eu jamais darei uma decisão que não seja do interesse do povo. O povo veio aqui para falar que não há qualquer possibilidade de aceitar uma mudança da CEASA para implementar qualquer outro projeto que não seja a construção de outra CEASA”, frisou o governador.

Pelo projeto do prefeito Washington Reis, a nova central de abastecimento, com 3 milhões de metros quadrados, funcionaria na Rodovia BR 040, ligação entre a capital e Petrópolis, local, segundo ele, de fácil acesso para caminhões.


FONTE: Elen Genuncio

IMAGEM: Roberto Siqueira

COBERTURA: Studio3R


10 visualizações0 comentário